Só você... e essa saudade...


Não consigo entender essa saudade que me invade, e me deixa assim tão distante...
Quero você aqui comigo, mas não posso, ou melhor não podemos. Não sei se me conformo, ou se permaneço na dor. Sei que me conformar talvez me leve a desistir de tentar e me acomode nessa solitude, e permaneça na descrença de amar por toda a vida. Hoje, acredito, apenas, que por toda a vida hei de te amar, no entanto, acalmei a ânsia de querer-te sempre por perto e comigo...

O que mais dizer desse amor que me alimenta e me transforma... e que me torna um novo ser... sinto tua presença, e sei que nunca me deixaste, estais aqui comigo, sempre, pois ainda SINTO OS TEUS BEIJOS DA MINHA ALMA!
Não sei por que nos afastamos e por que ainda permanecemos tão distantes, mas se me disseres e se sei (e, eu bem sei) que é para o teu bem, ausento-me de tua vida, como tanta vezes fiz (levianamente, de certo), no entanto, sei que se o faço, agora, é para proteger-te deste monstro que me tornei...
Amo tanto, meu amor! E, não cessarei de te amar, pois bem sei que somos um do outro... e sei que iremos nos encontrar para vivermos em plenitude esse amor... NOSSO AMOR VAI PARA ALÉM DO TEMPO DOS HOMENS...

Um comentário:

Mario César P. Lira disse...

OI, tenho acompanhado entrevistas e textos sobre Ariano. Sou fã da sua maneira de defender a cultura nordestina. Ele é meio radical em alguns aspectos, ams há quem diga que só sendo radical para chamar a atenção das pessoas. tá dando certo com ele.